quarta-feira, 16 de abril de 2008

004 - ...No meio da chuva...

Raios e Trovões


Raios e trovões

Que dividem os céus em mil pedaços

Mas não transformam

Meus quilômetros em metros.


Raios e trovões

Que destilam lágrimas ferozes,

Banhando os rios secos

Das magoas afogadas pelas almas em perdão.


Raios!


Simples feixe de luz

Que deduz do infinito sem chão

E berra com mais força

Que a guerra dentro de meu peito, no meu coração

Ecoa seu trovão por toda selva;

Quando em um segundo.

Um raio liga céu e terra;

Á destruição, os que vão ao alto

E ainda se ligam ao chão.


Meus pés flutuam, meus quilômetros perduram

Mas nas nuvens vou mais rápido

Quando em escala, meus sonhos trovejam

Relampejando, em raios e trovões

O furor de qualquer de minhas sensações.



Marcelo Bonates
O Trovador

3 comentários:

Karol disse...

Vc é o 'km' preferido da minha estrada.
hehe
Cantada sem graça, né?

(L)Vc!
;*

Maah. disse...

Eu tenho a impressão de que já li todos teus poemas, mesmo que nunca tenha lido nenhum.

Confuso não?! Nem é.. é porque o pouco do Marcelo que conheço se faz mais transparente ainda em cada palavra que escreve.

Um beijo, amigo. Minha admiração por ti, tu bem sabes, é enorme.

;*

Karol disse...

"..No meio da chuva..
Êê saudade do meu namorado!
Hunf.

;*