segunda-feira, 14 de abril de 2008

001 - Quando me faltou papel...

De repente, faltou papel

Um dia comecei a pensar,

Evolui, e quando ficou fácil

Comecei a brincar

De formular palavras

e de me comunicar


Depois das palavras, livre

Comecei a rimar, prosear, parafrasear

Decidi então registrar, comecei nas pedras

Ou nas próprias pernas

Mas espaço começou a me faltar.

Já que a língua cresce

Mais do que o andar

Mesmo você estando parado,

Se você raciocinar...


Pior que noticia ruim

É não poder explicar;

Ou ter uma idéia tão boa

Sem ter ninguém pra ir contar.

Assim é até bom exagerar, sendo rápido

Pois como um bonde sem freio

Não adianta só pensar

Alguém antes de você

Já começou a correu sem mesmo pensar.


Pior sou eu que fico aqui só a pensar

A escrever e imaginar

De repente o meu repente vira um livro

E eu nem sei que dia vai chegar

Pra quem tem muitas idéias

Se falar, falta até ar, caneta

Porque se faltar historia, é só criar

E se faltar papel...

é só vir aqui e digitar..



Marcelo Bonates
O Trovador

2 comentários:

Karol disse...

Sou tua fã nº 01, tu sabes disso.
;)

;*

Tay disse...

Esse eh o blog do futuro! hehehe
E que nunca te falte papel quando as merdas acontecerem, porque sao elas que dao as melhores ESTORIAS (ou historias. vai saber!).
;)
q.jo